21 fevereiro

Senhora das especiarias

Comentários

IMG_1556

Há tempos li um livro que gostei muito, “A senhora das especiarias”. É um romance que tem sua graça muito por conta da magia em torno de um estabelecimento que vende especiariais e ervas que, literalmente, mudam vidas. Ontem me senti um pouco senhora das minha própria produção de condimentos. Nesta temporada de calor, a horta está farta, cheia de brotos, uma exuberância de verde. Resolvi então iniciar os trabalhos de secagem de algumas das ervas plantadas. Escolhi o orégano, todo esparramado pela terra, como primeiro da lista. Já viu como é um arbusto de orégano? Coisa fina! Lembra um travesseirinho verde, com suas folhas minúsculas todas juntinhas e misturadas.

O processo de secagem, caso você queira repetir essa experiência em casa, é bem simples. Primeiro você corta alguns galhos da erva favorita. Lava e seca bem cada um deles sobre um pano de prato limpo. Depois, embrulha os galhos em uma folha dupla de papel de seda, como um buquê de flores. Se sobrarem algumas folhinhas para fora do papel, não tem problema. Amarre a ponta dos caules e o papel com um pedaço de barbante e pendure o buquê, de ponta-cabeça, em um local arejado e protegido do sol. Pronto! Se quiser secar pequenas quantidades de ervas que você tenha nos vasos da cozinha, outra ideia é usar saquinhos de papel pardo como os da foto que ilustra este post e criar um varal de ervas.

O tempo varia de erva para erva. Aqui em casa elas costumam ficar boas para o uso em uma semana. Mas o teste derradeiro é checar se as folhinhas já estão facilmente esfareláveis, sabe como? Na hora de guardar as ervas secas, use o próprio papel do buquê como apoio e separe apenas as folhas, dispensando os caules. Guarde em potinhos de vidro bem limpos e com tampas e está pronto seu primeiro pote de condimento feito em casa, uma coisa mágica que, aposto, você vai querer repetir sempre.

 

 

, , , ,

comentários