03 maio

Feito em casa é mais divertido

Comentários

381E8F3F-8135-4971-89A2-14882978BD72

A ideia de produzir algo único é sempre divertida! Seja um pequeno lote de gin artesanal ou algumas dúzias de garrafas de cerveja. Aqui em casa escolhi fazer minha própria kombucha e também meus potinhos de kefir, os dois da família dos probióticos, fermentados e deliciosos. Claro que sempre rola aquela paixão da estreia, quase um vício. Você acorda e dorme pensando se vai dar certo, se está tudo bem com seus “bichinhos”, esteriliza potes e garrafas como se não houvesse amanhã. Aí a loucura da estreia passa, imprevistos acontecem e aí como faz? Por aqui já passamos por todas as fases: da multiplicação enlouquecida do kefir, até eu aprender que podia congelar a produção excessiva ou colocá-los para dormir na geladeira em semanas que não precisasse de tanto iogurte ou coalhada seca. Com a kombucha a emoção foi ainda maior. Já teve o momento da produção maravilhosa, do milagre do sabor único + a gaseificação perfeita da segunda fermentação. Logo seguida pelo ataque do fungos alienígenas que tombaram com um lote inteiro da bebida. É nesse momento que essa história de fazer com as próprias mãos se mostra ainda mais linda. Como na vida, nem sempre tudo é um mar de kombucha, ops!, de rosas. Como na vida, é preciso insisitir, recomeçar, experimentar novas receitas, pedir ajuda aos universitários, por que não? Neste momento, estou no caminho do meio das minhas homemade kombucha e kefires. A primeira vai ganhar um sabor único e novo esta semana, ainda não sei se vai funcionar, mais é bem promissor: ibiscos com néctar de amoras e umas estrelinhas de anis. A missão com o kefir é deixar seu sabor cada vez mais suave e a textura ainda mais cremosa. Se vai dar certo? Não tenho a mínima ideia.

comentários