Anúncios Shopping UOL
 
 



Como organizar um bazar natalino em casa

A simples menção da palavra “bazar” provoca reações químicas incontroláveis em certas pessoas. Bazar é muito melhor do que liquidação, queima de estoque, baciadas de 1,99. Tanto que receber um convite ou “ficar sabendo de um” (o que aumenta ainda mais a emoção) é o mesmo que ter em mãos um vale-brinde para algumas horas de diversão garantida. Mas os entusiastas da prática de garimpar em bazares (sejam eles beneficentes, multimarcas, de moda, de decoração...) também sabem que, a cada 10 convites, apenas um vale realmente seu empenho. Ainda mais no final do ano, quando centenas de bazares acontecem simultaneamente pela cidade.

Bazar, na concepção dos mais fanáticos, significa: dúzias de achados incríveis, dispostos de maneira caótica (obrigando você a equilibrar dez peças sobre os ombros enquanto escolhe outras tantas), com bolinhas coloridas indicando faixas de preços realmente suculentos. Convidativo o suficiente, certo? Mas alguns organizadores desavisados fazem outro tipo de tradução. Algo como: poucos produtos, dispostos como na prateleira da loja, e com etiquetas indicando preços exorbitantes. Semana passada mesmo caí numa dessas armadilhas empolgada com um convite que relatava pelo menos 15 marcas incríveis que estariam reunidas em um mesmo endereço. Ilusão pura. Me senti em um lançamento de coleção no shopping Iguatemi (o shopping mais caro de São Paulo) e sai com as mãos abanando.

Por essas e outras é que pode valer muito a pena organizar seu próprio bazar de Natal. Na sua casa, com os produtos que você curte e, o melhor, só para as suas amigas. Quer coisa melhor do que consumir em grupo? Mas para organizar um bazar em casa é bom conhecer algumas manhas, para não transformar seu próprio domicílio em cenário de liquidação mal-sucedida. No meu livro (Casa da Chris, Editora Record) reservei um capítulo inteiro – “Tardes de Camisola” – só para explicar de onde surgiu minha obsessão pelo tema. Por isso vou direto ao ponto, explicando abaixo, algumas regrinhas para um bazar de sucesso.

1. Escolher o número de “vendedores” proporcional ao número de “consumidoras”. Assim, se você pretende convocar 50 pessoas para a farra consumista, chame apenas três ou quatro pessoas para vender suas peças. Assim você não corre o risco de ter oferta de mais e consumidoras de menos.

2. Diversifique na escolha das peças as serem vendidas ou trocadas, caso você queira investir num bazar de escambo – o que também pode ser bem divertido. É bom ter pelo menos três tipos de itens, como roupas, produtos para a casa e bijouterias, por exemplo. É uma maneira de atrair mais gente.

Continua ao lado...
---
Chris Campos


356
Página:  
 1 



Organizar um bazar de Natal é garantia de sucesso



asd